0214Últimas Notícias

Catu – CMTT deve ficar sem viatura por mais alguns meses

A Coordenadoria Municipal de Trânsito e Transporte do Município,( CMTT) continua sem a viatura para realizar a fiscalização do transito no município. A informação foi confirmada pelo Catu Notícias, após um comerciante da cidade questionar o sumiço do veículo. Segundo informações obtidas pelo CN, o veículo era alugado e teria sido devolvido a coomap ( empresa cooperativa de transportes) por conta de o contrato já ter expirado. Ainda segundo informações obtidas pelo Catu Notícias, a CMTT já teria comprado um veículo zero para realizar as rondas de trânsito na cidade e que a mesma deve levar em torno de 90 dias para estar à disposição da população.

A reportagem do CN entrou em contato com a gestão anterior pra saber por que teria alugado e não comprado a viatura e a mesma nós respondeu: “quando fizemos o contrato de aluguel do veículo a CMTT estava recém criada e, por conta disso, ainda não possuía recursos suficientes para a compra do veículo e, é importante lembra que o contrato tinha validade até o mês de julho deste ano, então, não entendemos o motivo da devolução do veículo quando o correto seria continuar com o veículo alugado até a chegada da nova viatura e, desta forma, não deixar o trânsito da cidade sem este equipamento. Ainda segunda a gestão passada, a mesma teria informado ao atual governo sobre os recursos no caixa da CMTT e que poderiam ser usados para a compra da viatura do órgão fiscalizador de transito.

É responsabilidade do órgão de trânsito a fiscalização e ordenação dos espaços públicos. E baseado na Lei 9.503/97, que estabelece o CTB – Código de Trânsito Brasileiro, no âmbito das infrações, compete a CMTT, como órgão municipal de trânsito, cobrar o cumprimento das competências estabelecidas para que de forma democrática possam estes espaços sejam ocupados por todos.

“A gente espera que a nova gestão disponibilizasse mais veículos para trabalhar na fiscalização do trânsito no município e não retirar a única viatura que tínhamos”, falou um leitor.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo