04Últimas Notícias

100% remota: aulas da rede estadual de ensino começam hoje

O início o ano letivo 2020/2021 da rede estadual de ensino na Bahia começa nesta segunda-feira (15) com uma aula magna, às 8h30, com transmissão ao vivo pelo canal da Educação Bahia no Youtube e pelo canal Educa Bahia, na TVE. A aula inaugural, mediada pelo jornalista Raoni Oliveira, será momento de os estudantes conferirem mais informações sobre as atividades pedagógicas e os recursos tecnológicos a serem adotados.

A atividade contará com uma mensagem do governador Rui Costa e com as presenças do secretário da Educação, Jerônimo Rodrigues, diretores escolares, coordenadores pedagógicos, professores, estudantes e seus familiares. Os participantes contarão, ainda, com apresentações culturais de estudantes, além da exibição de um vídeo sobre o legado de Paulo Freire.

O ensino, por enquanto, será de forma 100% remota e vai contemplar todos os alunos da rede estadual, garantiu o governador Rui Costa. A volta do modo presencial não tem data prevista e está condicionada aos parâmetros sanitários relacionados à covid-19 no estado. O planejamento da Secretaria da Educação prevê a realização dos dois anos letivos, 2020 e 2021, até o dia 29 de dezembro, com 42 semanas de aulas, 228 dias letivos e 1.500 horas aula.
Três fases

Serão três fases de atividades escolares. Primeiro, a etapa 100% remota, que começa hoje. As aulas serão transmitidas em salas do Google, no YouTube e através do Canal Educa Bahia, na TVE, que terá programação educativa diariamente. Os professores vão gravar o conteúdo, e depois disponibilizar o material para os alunos através dessas plataformas.

Durante o Papo Correria do dia 23 de fevereiro, o governador Rui Costa destacou que o governo buscou a melhor alternativa para contemplar todos os estudantes. “Adotamos uma estratégia que irá atender a todos os alunos da rede estadual. Desde o início da pandemia, eu afirmei que não iria aceitar uma solução que alcançasse um número pequeno de alunos. Temos muitos estudantes que moram na zona rural e que não têm sequer sinal de celular. Por isso, estamos implementando esse início remoto das aulas, que não se trata de aula virtual por entender que não contemplaria os alunos que não têm sinal de telefone ou banda larga”, afirmou.

Depois, será a vez da fase híbrida. O estudante conciliará o Tempo Casa e o Tempo Escola, ou seja, as turmas serão divididas e os estudantes estarão três dias na escola e outros três realizando as atividades em casa, para evitar aglomeração. Por fim, na fase três, ocorrerá a retomada das aulas 100% presenciais. Já com segurança, os estudantes terão aulas na escola durante seis vezes na semana.

Como vai funcionar?

Com a realização de dois anos letivos em um, a rede estadual implanta o currículo contínuo, o que significa que o estudante fará a série que cursava em 2020 e, gradativamente, avançará para a série seguinte, em regime especial.

Durante a fase um, o aluno terá o auxílio de livros didáticos e de literatura, cadernos de apoio, reforço pelo Whatsapp (com texto e vídeos mais curtos, e que consomem menos pacotes de dados), simulados e sala virtual Google; atividades complementares, com o programa Mais Estudo virtual, cursos on-line, iniciação científica e projetos estruturantes e de vida.

Enquanto não for possível o retorno das aulas presenciais, os alunos estudarão em casa e os professores farão acompanhamento pedagógico à distância, com uso de ferramentas digitais e analógicas. Eles e seus responsáveis receberão as orientações sobre as rotinas e planos de ensino, feitas pela escola, através dos meios de comunicação disponíveis. Os que tiverem acesso à internet poderão acessar os conteúdos e responder às atividades de forma virtual.

Além do canal de TV Educa Bahia, um canal no YouTube (educabahia.ba.gov.br) exibirá aulas e programas com conteúdos pedagógicos, incluindo aulas do EMITEC (Ensino Médio), do curso ENEM gratuito e da Hora do ENEM (para concluintes) e do programa Vamos Aprender e Estude em Casa (para o Fundamental e o Médio).

Também será iniciado o programa Mais Estudo, com envolvimento de 52 mil estudantes em atividades de monitoria em Língua Portuguesa e Matemática para contribuir com a aprendizagem dos colegas. Na prática, os melhores alunos da turma vão ajudar como monitores nas atividades escolares, e terão direito a uma bolsa de R$ 100 durante dez meses. Esses alunos serão escolhidos com base no bom desempenho e frequência escolar dos anos anteriores.

Obstáculos

Rui Oliveira, professor e coordenador geral da Associação dos Professores Licenciados do Brasil – Secção da Bahia (APLB-BA), diz que o cenário ideal é aquele em que todos os alunos tenham acesso à internet e que o governo do estado deveria garantir essa ferramenta aos estudantes. Além disso, para os professores que não tiverem wi-fi, que um auxílio pudesse ser disponibilizado para custeio do serviço. Durante uma entrevista coletiva virtual, no dia 24 de fevereiro, o secretário estadual de educação, Jerônimo Rodrigues, contou que 35% dos 417 municípios baianos têm dificuldade com acesso à web.

Em resposta ao CORREIO, a secretaria informou que, para os alunos que não tiverem acesso à internet, a escola indicará os dias e horários para a entrega do material pedagógico e utilização da internet da escola. A unidade de ensino também providenciará os livros e materiais de apoio para as atividades escolares. E para os estudantes que residem na zona rural e que não tiverem como ir à unidade escolar, a escola enviará para o estudante o material. Os professores que não tiverem computador ou acesso à internet em casa, deverão utilizar as estruturas das escolas para o desenvolvimento de suas atividades.

O presidente da APLB também levantou uma outra questão. A jornada dos professores é dividida entre tempo de aula e tempo de planejamento das atividades, e, segundo ele, a secretaria estaria pretendendo ampliar a duração do período destinado às aulas. “Queremos que esse espaço de planejamento seja preservado porque trabalhar de forma remota é uma novidade para todo mundo e não vamos abrir mão do respeito à legislação”, diz Rui Oliveira.

Ainda de acordo com Oliveira, às 14h desta segunda-feira, haverá uma assembleia remota com os professores da rede estadual de educação via Facebook e YouTube para debater sobre a situação. Caso haja aumento de carga horária, a APLB diz que há possibilidade de greve. “Os professores são os que mais querem que o ano letivo comece bem, nós temos um compromisso. Mas vamos observar o que vai acontecer ao longo da semana. Se os nossos direitos não forem preservados, vamos tomar uma medida extremamente radical: greve”, afirma o presidente.

Sobre o caso, a Secretaria de Educação respondeu que “o cumprimento dos objetivos de aprendizagem e a integralização da carga horária mínima do ano letivo de 2020 serão realizados por meio do continuum das duas séries escolares no ano civil de 2021, observadas as diretrizes nacionais editadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e pelas diretrizes do Conselho Estadual de Educação (CEE), conforme Portaria nº 637/2021, publicada no Diário Oficial do Estado (DOE), de 3 de março de 2021”, diz a nota.

Matrícula

A renovação da matrícula será automática para os estudantes que estavam matriculados na rede estadual de ensino, em 2020, sem a necessidade dos estudantes, pais ou responsáveis irem até à unidade escolar. Já a matrícula para os estudantes novos deverão ser realizadas pelo SAC Digital, no endereço eletrônico www.sacdigital.ba.gov.br/, ou aplicativo SAC DIGITAL. O começo vai de 22 de março a 14 de abril, de acordo com o cronograma disponível no site da secretaria, mas o processo poderá ser feito ao longo de todo ano.

Para a comprovação da matrícula, os alunos novos precisarão apresentar, em data a ser agendada com a escola: original do Histórico Escolar; original e cópia da cédula de identidade ou certidão de Registro Civil; original e cópia do CPF; original e cópia legível com data recente do comprovante de residência (água, luz, telefone fixo ou móvel, gás encanado, Internet, contrato de aluguel, IPTU, cartão de crédito ou TV por assinatura); original e cópia da carteira de vacinação; cópia da cédula de identidade da mãe do aluno; cópia do CPF da mãe do aluno.

A Transferência dos estudantes já matriculados na rede estadual, que pretendem mudar de escola, deverá ser feita em qualquer unidade escolar da rede estadual, mediante agendamento prévio. O superintendente de Planejamento Operacional da Rede Escolar, Manoel Vicente Calazans, explicou que  também há a opção da matrícula na escola para os alunos novos, mas isto só pode ocorrer mediante marcação prévia com a unidade escolar.

Vale-alimentação

Os estudantes matriculados na rede estadual de ensino da Bahia terão direito a um vale-alimentação a partir de hoje, data em que o ano letivo tem início. O valor será o mesmo do ano passado, de R$ 55 por mês.

O valor será depositado em cartões de alimentação entregues aos cerca de 800 mil alunos. A quantia só pode ser utilizada na compra de produtos do gênero alimentício, a exemplo de feijão, arroz, macarrão, carne, frutas, verduras e café

FONTE: correio

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo